Uma tatuadora brasileira transforma traumas de mulheres em obras de arte

O projecto “Somos Diamantes”, num estúdio em São Paulo, tatua gratuitamente cicatrizes de vítimas de violência doméstica, de acidentes de carro, doença ou outras situações traumáticas.

Foto
Reuters/CARLA CARNIEL

Mulheres brasileiras feridas por queimaduras e ou com outros traumas físicos podem agora procurar alívio junto de uma tatuadora cuja missão é tatuar por cima de cicatrizes, transformando memórias persistentes de dor em bonitas borboletas, flores e animais.

Pelo estúdio de Karlla Mendes, artista de São Paulo, já passaram mais de 150 mulheres no âmbito do projecto “Somos Diamantes”. “Podes transformar a vida de alguém com a tua arte. Podes vê-lo nos olhos dela. A sua alma ilumina-se e ela brilha de felicidade”, disse a tatuadora à Reuters. “São esses momentos que me fazem querer continuar com este projecto.”

Muitas das mulheres que procuram o estúdio de Karlla Mendes são sobreviventes de violência doméstica, acidentes de carro ou doença, determinadas a reconquistar a auto-estima, transformando feias feridas em telas para arte corporal.

Valeria Festa a ser tatuada. REUTERS/Carla Carniel
O resultado final. REUTERS/Carla Carniel
REUTERS/Carla Carniel
Magno Round tatua Luiza Borges. REUTERS/Carla Carniel
Fotogaleria
REUTERS/Carla Carniel

Para concorrer a este projecto e serem tatuadas gratuitamente, as interessadas devem contar a sua história e enviar fotos através do site do projecto.

Durante quase mais de dez horas, Liliana Oliveira observou com admiração as cicatrizes do seu braço direito desaparecerem e serem substituídas por borboletas roxas e pétalas delicadas de flores. “Fez-me voltar à vida. Voltei a ser uma mulher”, diz.

Foto
Karlla Mendes REUTERS/Carla Carniel

Um acidente de carro traumático, ocorrido há vários anos, deixou Valeria Festa com cicatrizes na perna direita, um lembrete constante de um dos piores momentos da sua vida. “Muitas vezes não conseguia sequer olhar. Ignorava porque quando olhamos para algo assim incomoda-nos e pesa porque não faz parte de nós”, refere. A tatuagem que agora tem é “maravilhosa”.

Para Mendes, a tatuadora, o projecto satisfaz o seu próprio desejo de ajudar. “É o facto de saber que realmente fiz diferença e que consegui ajudar a transformar a vida de alguém para melhor.”

Sugerir correcção
Comentar