A primeira exposição a mostrar ao mundo a arte da pré-história chega ao Côa 101 anos depois

Com a descoberta das pinturas de Altamira, em 1879, o estudo da pré-história recebeu um importante impulso. Muita polémica depois, uma exposição viria a apresentar ao grande público a arte dos primeiros homens. Foi em Madrid, em 1921, e chega agora ao Côa. Para ver até 12 de Maio.

anverso�
Fotogaleria
Reprodução à escala natural de um animal pintado na gruta de Altamira Angel Martínez Levas/Cortesia: Museu Arqueológico Nacional
anverso�
Fotogaleria
Reconstituição de um corte estatigráfico do sítio paleolítico de San Isidro (Madrid), que muito contribuiu para estabelecer que a humanidade nascera muito antes do que dizia a Bíblia Angel Martínez Levas/Cortesia: Museu Arqueológico Nacional
Cara frontal�
Fotogaleria
A s primeiras manifestações de arte paleolítica a serem conhecidas eram móveis e não feitas sobre paredes de rocha Verónica Schulmeister/Cortesia: Museu Arqueológico Nacional
fundacao-coa-parque,gravuras-rupestres,patrimonio,culturaipsilon,evolucao-humana,arqueologia,
Fotogaleria
Vista geral da exposição no Côa António Jerónimo/Fundação Côa Parque

É da pré-história que vem a primeira arte. O homem usava as paredes e tectos das grutas onde se abrigava em comunidade, como em Altamira ou Lascaux, para pintar animais ou cenas de caça. No Côa trabalhou ao ar livre, gravando cavalos e auroques nas rochas, algumas nas margens do rio. Com que objectivos o fez, no interior e no exterior, é algo que está ainda aberto a discussão e as hipóteses de interpretação são muitas e sempre ligadas aos lugares em que esta arte aparece, às vezes em traços simples, esquemáticos, outras com formas e cores exuberantes.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários