Rebeldes iemenitas repetem desafio aos Emirados, numa guerra que ameaça tornar-se cada vez mais alargada

Coligação liderada pelos sauditas respondeu ao ataque dos houthis em Abu Dhabi com vários bombardeamentos mortíferos. Houthis dizem que vão responder “à escalada com escalada”. Fim do conflito iemenita parece cada vez mais longínquo.

Foto
O bombardeamento de uma prisão, em Saada, na quinta-feira, fez mais de 100 mortos EPA

Uma semana depois de um raro ataque dos houthis contra os Emirados Árabes Unidos, principal aliado da Arábia Saudita na coligação formada pelo reino para intervir na guerra iemenita, o conflito no país mais pobre da Península Arábica ameaça continuar a transbordar fronteiras, envolvendo cada vez mais países. Os Emirados dizem ter interceptado e destruído esta segunda-feira dois mísseis balísticos disparados pelos rebeldes iemenitas, horas depois de Riad ter dado conta da queda de um míssil que feriu dois residentes e fez danos em oficinas e viaturas numa zona industrial, ao mesmo tempo que outro míssil era interceptado e destruído numa zona diferente da monarquia.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários