Entre os tachos e a horta, sai Ferreira e entra Oliveira para afastar o azar da CDU

Depois da carótida, a covid-19: a campanha comunista sofreu mais um revés, mas o partido não se desvia do caminho traçado e, no terreno, defendeu a restauração e a agricultura.

gastronomia,politica,agricultura,eleicoes,cdu,pcp,
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
gastronomia,politica,agricultura,eleicoes,cdu,pcp,
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
gastronomia,politica,agricultura,eleicoes,cdu,pcp,
Fotogaleria
LUSA/MIGUEL A. LOPES
gastronomia,politica,agricultura,eleicoes,cdu,pcp,
Fotogaleria
LUSA/MIGUEL A. LOPES

Saiu Jerónimo, entrou Ferreira; saiu Ferreira, entrou Bernardino; agora será Oliveira até ao regresso do líder do partido (lá para o fim-de-semana, mas ainda sem data certa). Qual será o próximo contratempo da campanha da CDU? Depois da baixa para a cirurgia urgente do secretário-geral, a campanha da coligação de esquerda sofreu outra baixa de peso nesta terça-feira de manhã com o confinamento de João Ferreira por testar positivo para a covid-19. Mas os comunistas estão habituados a adversidades – foi a mensagem que tentaram fazer passar primeiro Bernardino Soares, quando visitou um empresário da restauração de manhã, e depois João Oliveira à tarde, numa exploração agrícola no distrito de Aveiro.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários