Seria intolerável a queda de três aviões por ano em Portugal. E 600 mortes nas estradas, já é aceitável?

Em entrevista ao PÚBLICO, o presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, Rui Ribeiro, anuncia para breve a criação do Observatório da Sinistralidade que vai permitir gerar informação em tempo real e apoiar políticas mais eficazes para debelar o flagelo das mortes nas estradas e ruas do país.

Foto
Rui Ribeiro anuncia para breve a criação do Balcão Único do Condutor Daniel Rocha

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária está a elaborar uma estratégia para esta década centrada nos princípios da Visão Zero, que pressupõe uma intervenção articulada nos condutores, nos veículos mas também nas ruas e estradas, para chegar a um sistema seguro que minimize as consequências dos sinistros que ainda matam cerca de 600 pessoas anualmente. Nesta entrevista, o seu presidente, Rui Ribeiro, deixa um apelo ao novo governo que aí vem. É preciso um “forte compromisso político” para atingir a meta de redução para metade do número de mortes e feridos graves, até 2030.

Sugerir correcção
Ler 30 comentários