CNE reafirma que não há como impedir cidadãos infectados de irem votar nem como retirar o seu nome dos cadernos eleitorais

Ir às urnas é “um direito garantido constitucionalmente” e não há forma de controlar o movimento dos cidadãos infectados ou em confinamento.

eleicoes-legislativas-2022,covid19,coronavirus,comissao-nacional-eleicoes,politica,eleicoes,
Fotogaleria
Nas presidenciais houve cuidados excepcionais Nelson Garrido
eleicoes-legislativas-2022,covid19,coronavirus,comissao-nacional-eleicoes,politica,eleicoes,
Fotogaleria
"Votar é seguro", diz a CNE Rui Gaudencio
eleicoes-legislativas-2022,covid19,coronavirus,comissao-nacional-eleicoes,politica,eleicoes,
Fotogaleria
Luvas e máscaras têm marcado presença nas eleições mais recentes Daniel Rocha
eleicoes-legislativas-2022,covid19,coronavirus,comissao-nacional-eleicoes,politica,eleicoes,
Fotogaleria
Eleitores são convidados a desinfectar as mãos Paulo Pimenta

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) entende não existir qualquer possibilidade de impedir um cidadão contaminado com covid-19 de ir votar em qualquer eleição. “É um direito garantido constitucionalmente que não pode ser afastado por qualquer entidade”, afirmou ao PÚBLICO João Tiago Machado, porta-voz da CNE.

Sugerir correcção
Ler 19 comentários