Portugal ultrapassou quase todos os limites ecológicos e as gerações mais novas têm menos carbono para emitir

Desde o início do século XX que praticamente todas as gerações ultrapassaram um ou mais dos sete limites ecológicos analisados: alterações climáticas, poluição da água, consumo de água doce, produção e deposição de resíduos, poluição atmosférica, destruição da camada de ozono e pressão sobre os ecossistemas. A boa notícia é que essa transgressão está a baixar.

Foto
Os limites associados às alterações climáticas ou ao consumo de água doce em anos secos são dos que mais preocupação suscitam FRANCISCO ROMÃO PEREIRA

As pressões que os portugueses estão a exercer sobre o planeta, quanto à utilização dos seus recursos, estão dentro dos limites que este pode suportar? E as diferentes gerações têm-se comportado todas da mesma forma, nesta matéria? Um estudo apresentado nesta terça-feira dá-nos as primeiras respostas sobre tudo isto, e elas não são boas. Em Limites Ecológicos: O Impacto Intergeracional do Uso dos Recursos Naturais, ficamos a perceber que, em sete categorias analisadas, Portugal só não ultrapassa os limites ecológicos numa delas. E que em todas as gerações há alturas da vida em que temos muito mais impacto no ambiente do que deveríamos, numa ou noutra categoria. Mas também há boas notícias.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários