Escassez de pinho e subida dos preços ameaça indústria da madeira

O preço da tonelada de madeira de pinho à porta das fábricas aumentou “40% no último ano”. Em Portugal, o défice de matéria-prima é de 57% do consumo industrial e o país “não está a reflorestar nem a plantar nova floresta”, avisa a AIMMP. Encerramento de empresas “é uma ameaça real”.

Foto
Paulo Pimenta

Há exactamente um ano, Vítor Poças pôs o dedo na ferida: “Portugal está a fazer gestão ruinosa da floresta”. O presidente da Associação dos Industriais de Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP) avisou, em entrevista ao PÚBLICO, que a escassez de matéria-prima em Portugal estava a ditar o encerramento de serrações. E a gerar uma crescente importação de madeira, sobretudo de pinho, utilizada, entre outros, na fabricação de paletes, embalagens, painéis, soalhos, carpintaria, urnas funerárias e mobiliário.

Sugerir correcção
Ler 25 comentários