Profissionais do SNS estão cansados e desmotivados. Absentismo cresceu 22%

Os profissionais do Serviço Nacional de Saúde estiveram sujeitos a uma enorme pressão durante a pandemia e foram obrigados a fazer muitas horas extraordinárias. “As pessoas entram em crise, quebram e ficam doentes”, descreve o bastonário da Ordem dos Médicos.

Foto
Mais de metade das faltas dos profissionais de saúde foi justificada por doença Manuel Roberto

As marcas de um ano e meio de pandemia são particularmente visíveis nos níveis inauditos de absentismo no Serviço Nacional de Saúde (SNS). O número total de dias de ausência disparou em 2020 e continuou a crescer ao longo deste ano, mesmo depois de a pandemia estar controlada. Em Setembro, os dias de ausência dos profissionais do SNS (quase 389 mil) eram 22% superiores aos do mesmo mês de 2019.

Sugerir correcção
Ler 21 comentários