Cientistas portugueses medem a deformação da crosta terrestre no vulcão de La Palma

Instaladas por equipa portuguesa, quatro estações monitorizam os movimentos superficiais da crosta junto do vulcão e aí vão ficar até ao final da erupção.

vulcao,canarias,ciencia,geociencias,geologia,
Fotogaleria
O investigador Rui Fernandes a instalar uma das estações no vulcão Cumbre Vieja, na ilha La Palma (Canárias) DR
vulcao,canarias,ciencia,geociencias,geologia,
Fotogaleria
O investigador Rui Fernandes a instalar uma das estações no vulcão Cumbre Vieja, na ilha La Palma (Canárias) DR

Pouco mais de uma semana após o início da erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, o investigador português Rui Fernandes estava a chegar àquela ilha das Canárias transportando na bagagem quatro estações de posicionamento por satélite. Ia instalá-las nas imediações da cratera principal do vulcão, para se poderem seguir com grande precisão os movimentos superficiais da crosta terrestre (verticais e horizontais) e, dessa forma, ficar-se na posse de mais pistas sobre o que se passa no interior do Cumbre Vieja.