Preço da electricidade atinge novo máximo no mercado grossista ibérico

ERSE divulga esta sexta-feira a proposta de revisão tarifária da eletricidade, para famílias no mercado regulado.

Foto
Reuters/Max Rossi

O preço da electricidade no mercado grossista ibérico subiu novamente esta sexta-feira, para 231,82 euros por megawatt hora (MWh), o mais alto desde que há registos e mais 7,5% que na véspera.

De acordo com informação da página do OMIE, operador de mercado eléctrico designado para a gestão do mercado diário e intradiário de electricidade na Península Ibérica, o preço máximo alcançado esta sexta-feira foi de 265,00 euros/MWh e o mínimo de 201,06 euros/MWh, tendo sido transaccionados 136 GWh de energia, a um preço médio de 231,82 euros por MWh.

Os preços da energia no mercado grossista têm um impacto directo na tarifa regulada e servem de referência para os que contratam o seu fornecimento no mercado livre, e já levou este ano a duas subidas intercalares do preço da electricidade no mercado regulado, a última em 1 de Outubro.

É neste contexto de subida que se aguarda a entrega hoje, por parte da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), da proposta de revisão tarifária da electricidade, para as famílias que estão no mercado regulado, com os preços que vão vigorar no próximo ano.

O ministro do Ambiente garantiu recentemente que não haverá aumento de preço da electricidade para os consumidores domésticos do mercado regulado em 2022 e haverá uma redução de pelo menos 30% na tarifa de acesso às redes para os industriais. Essa garantia deve-se à antecipação das propostas do Governo para conter “alguma preocupação por parte dos cidadãos comuns e também dos senhores empresários”, garantiu João Pedro Matos Fernandes.

Com subida desta sexta-feira (terceira sexta-feira do mês), o preço da electricidade excede pela oitava vez a barreira dos 200 euros/MWh, todos registados em Outubro, e é o quíntuplo do valor registado na terceira sexta-feira de Outubro do ano passado (43,33 euros).

Assim, durante a primeira quinzena de Outubro, o preço do mercado grossista atingiu em média 202,8 euros/MWh, elevando este para o estatuto de mês mais caro da história.

A escalada dos preços que afecta grande parte da Europa deve-se, entre outros factores, ao aumento do custo do gás nos mercados internacionais, que é utilizado em centrais eléctricas de ciclo combinado, e ao aumento do preço dos direitos de emissão de dióxido de carbono (CO2).

Em escalada estão também os preços do petróleo, o que está a gerar uma subida dos preços dos combustíveis e a encarecer a produção e transporte de mercadorias, factores que estão a travar o crescimento da economia mundial, numa altura em que ainda não recuperou do impacto da pandemia de covid-19.