Passar férias ou investir num barco? A BoatLovers pode ajudar

É possível alugar barcos de vários tamanhos, com vários serviços incluídos, desde o motorista ao catering. Magda e Miguel Tilli querem “transportar o conceito de casa para dentro de um barco”.

passeios,ferias,investimento,viagens,fugas,turismo,
Fotogaleria
Para já, têm barcos em Lisboa, Tróia e Algarve DR
passeios,ferias,investimento,viagens,fugas,turismo,
Fotogaleria
É possível alugar barcos de várias dimensões DR
passeios,ferias,investimento,viagens,fugas,turismo,
Fotogaleria
As casas-barco estão disponíveis a partir de 80 mil euros DR
passeios,ferias,investimento,viagens,fugas,turismo,
Fotogaleria
Interior das casas-barco DR

É difícil encontrar um Airbnb para passar o fim-de-semana com a família toda na Costa Vicentina? Para ir à praia, passa horas no trânsito? Quer organizar um aniversário original, mas não encontra o sítio perfeito para a festa? A solução pode estar em alugar ou comprar um barco, propõe a BoatLovers, o novo projecto da HomeLovers, que comemora dez de existência no mercado.

Durante a pandemia, os empresários do ramo imobiliário Magda e Miguel Tilli tiveram a ideia de lançar um projecto dedicado a barcos, quando à semelhança de tantos outros milhões de pessoas se viram confinados dentro de casa. Na HomeLovers, tal como aconteceu com outras empresas imobiliárias, sentiram uma procura crescente por espaços exteriores, por isso, o casal, que já tinha uma paixão pelo mar, decidiu “transportar o conceito de casa para dentro de um barco”, contam ao PÚBLICO.

Com a BoatLovers é possível alugar barcos de vários tamanhos, com vários serviços incluídos, desde o motorista ao catering. A ideia, explica Miguel Tilli, é poder “proporcionar a experiência de um dia num barco”. Mas o negócio tem ainda outra vertente: o investimento.

Os empresários acreditam que os barcos são uma boa fonte de investimento, desde que sejam utilizados da forma correcta. Nesse sentido, acreditam poder ajudar os proprietários e é isso que os distingue das empresas de aluguer de barcos para eventos, defendem. Assim, quem tenha um barco pode entregá-lo e será a empresa a tratar de todos os alugueres e da manutenção associada, “das revisões dos motores, aos antivegetativos, à renda da marina ou aos seguros”, enumera Miguel Tilli. 

Além disso, Magda e Miguel Tilli têm outra proposta de investimento: as casas-barco, especialmente direccionadas ao mercado do turismo. “Os turistas em vez de terem uma experiência num apartamento vão para uma marina e têm tudo lá, cozinha, televisão, até um terraço com uma espreguiçadeira”, destaca o co-fundador do projecto. As casas-barco, avançam, estão disponíveis a partir de 80 mil euros.

Para já, têm barcos em Lisboa, Tróia e Algarve, mas esperam rapidamente expandir o projecto a outras regiões do país.