Sócrates arrisca-se a ser julgado três vezes na Operação Marquês

Ministério Público entregou nesta terça-feira recurso com mais de 1700 páginas da decisão do juiz Ivo Rosa, que arquivou 25 dos 31 crimes de que o ex-primeiro-ministro estava acusado. Dois juízes recusam-se a despachar processo.

Foto
Processo que envolve José Sócrates e Carlos Santos Silva é cada vez mais um labirinto judicial Rui Gaudencio

Imbróglio. Assim se resumem numa palavra os últimos desenvolvimentos do processo conhecido como Operação Marquês, que fazem com que o ex-primeiro-ministro José Sócrates e o seu amigo de longa data Carlos Santos Silva se arrisquem a ser julgados três vezes neste caso. A catadupa de requerimentos, reclamações e recursos apresentados pela defesa do antigo governante também ajudam a emaranhar um processo já de si intrincado.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários