O negacionismo de Bolsonaro teve um poderoso braço clínico

A defesa de tratamentos sem eficácia comprovada para pacientes com covid-19 é uma das marcas da gestão do Presidente brasileiro e encontrou amparo numa das maiores empresas de saúde privadas do país.

Foto
Bolsonaro continua a defender os méritos de medicamentos como a hidroxicloroquina, sem eficácia comprovada, para tratar a covid-19 STEPHEN YANG / Reuters

A prescrição de tratamentos sem eficácia comprovada a doentes infectados com a covid-19 é uma das pedras basilares da controversa estratégia do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, para combater a pandemia, que tem no Brasil o segundo país do mundo mais atingido. Desacreditado pela generalidade da comunidade científica, o recurso a estes medicamentos fez parte do modo de actuação de um dos maiores grupos de gestão hospitalar privada do Brasil, com inspiração do Palácio do Planalto.