Rúben Amorim: “Temos de acalmar um pouco o entusiasmo”

Para o treinador do Sporting, um dos desafios para encarar o Ajax, na Liga dos Campeões, é controlar o entusiasmo de atletas pouco habituados a estes palcos.

Foto
Rúben Amorim, treinador do Sporting LUSA/ANTONIO COTRIM

Rúben Amorim, treinador do Sporting, crê que passar do campeonato para a Liga dos Campeões não requer qualquer trabalho de motivação, mas sim de controlo do entusiasmo dos jogadores.

“Temos de acalmar um pouco o entusiasmo, porque a motivação está lá toda”, apontou nesta terça-feira, na antevisão do jogo frente ao Ajax, do grupo C da Liga dos Campeões (quarta-feira, 20h, Eleven Sports).

E detalhou: “Ter um clássico [frente ao FC Porto] e passados três dias jogar com o Ajax só pode fazer crescer a equipa”.

Sobre o jogo desta quarta-feira, Amorim lembrou que as ausências de Pedro Gonçalves e Coates terão peso na equipa “leonina”, sobretudo a do central uruguaio. “Um foi o melhor marcador do último campeonato, o outro foi o melhor jogador, é o líder e um dos nossos jogadores mais experientes na Europa. Tem um impacto grande a falta do Coates”, reconheceu.

Acerca do adversário, o técnico do Sporting falou do lado futebolístico, mas também do clube em si.

Lembrou que “é uma equipa que tem sempre a bola” e que o Sporting “terá de contrariar isso” e, sobre o clube, apontou que tem semelhanças com os lisboetas.

“São dois clubes com a mesma filosofia, conhecidos por formarem jogadores. Mas são clubes em momentos diferentes. Basta olhar para o investimento e experiência do Ajax. Ainda há pouco tempo estiveram na final da Champions. Está num momento diferente e nós temos de passar vários mercados e formar vários jogadores para chegarmos a esse patamar”.