Imagine”, disse John Lennon há 50 anos

O sonho de John Lennon, o de um mundo sem países, sem posse e sem religião, foi editado no álbum Imagine dia 9 de Setembro de 1971. Ao longo de 50 anos, tornou-se omnipresente, transversal, transformou-se de manifesto contra-cultural na ideia de uma aspiração, passiva mas reconfortante, em hino pronto a servir quando a tragédia espreita.

Foto
© Brendan McDermid / Reuters

Tendo em conta a longevidade e a abrangência que ganhou com o passar dos anos, é interessante constatar que tudo aconteceu muito rápido. Dia 27 de Maio de 1971, John Lennon, o produtor Phil Spector, o baterista Alan White e o baixista Klaus Voorman, amigo desde os tempos dos Beatles em Hamburgo, autor da capa de Revolver, tentaram gravar uma nova canção numa sala da propriedade de Tittenhurst Park, no Berkshire, onde Lennon instalara o piano branco que oferecera a Yoko Ono. Problemas com a acústica levaram a equipa a mudar-se para o estúdio que o ex-Beatle montara em casa. Três takes depois, nascia uma nova canção (o segundo foi o escolhido). Em Julho, o arranjo de cordas foi gravado em Nova Iorque e, dia 9 de Setembro, era editado o segundo álbum a solo de John Lennon. Tinha por título Imagine e arrancava assim: “Imagine there’s no heaven…