António Macedo: “A primeira bebedeira da minha vida foi quando Salazar morreu”

Acordou Portugal durante muitos anos, na TSF e na Antena 1. A paixão pela rádio de António Macedo começa no “Folhetim” da Emissora Nacional e a ouvir Manuel Alegre na rádio Portugal Livre. Diz que não se cala enquanto não se “fizer justiça” ao papel de Emídio Rangel na rádio e na televisão.

Foto
António Macedo diz que a fundação da TSF foi a experiência profissional mais empolgante que viveu Rui Gaudêncio

Fez 70 anos em Novembro e um dos presentes foi uma emissão de rádio de cinco horas e meia onde lhe deram os parabéns muitos amigos e figuras de todos os quadrantes políticos, de Francisco Louçã a Pedro Santana Lopes. É eleitor do Bloco de Esquerda, às vezes vota PCP, mas votou PSD quando Santana Lopes se candidatou à Câmara de Lisboa. Numa carreira longa, o momento mais empolgante de António Macedo foi a fundação da TSF. “Nesta actividade o Emídio Rangel foi a pessoa mais extraordinária que conheci”.