Mariana Vieira da Silva mantém o papel mas mudou de tom

“Só o PS tem António Costa, que é uma das vozes mais respeitadas na Europa”. Mariana Vieira da Silva homenageia o pai político, na apresentação da moção do líder. Três anos depois, aprendeu a falar em festas de família partidárias.

Foto
Mariana Vieira da Silva LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A primeira-ministra em exercício repetiu o papel que teve no último Congresso do PS, na Batalha — apresentar a moção do líder e pareceu, três anos depois, outra pessoa: hoje não hesitou nem gaguejou e quem subiu desta vez ao palanque foi a proto-candidata a secretária-geral, já capaz de frases puramente partidárias ao estilo das festas de família política que são os congressos. Teve uma grande salva de palmas quando homenageou, na recém-militante Marta Temido, o pessoal do SNS. “Agradecemos à ministra da Saúde, a camarada Marta Temido, que se juntou agora a nós, mas que há muito luta por um SNS mais forte”. Uma salva mais ou menos ex-aequo com a anterior foi quando Mariana Vieira da Silva falou do principal activo do PS por estes dias e seu patrono político: “Só o PS tem António Costa, que lidera o partido, o país, e é uma das vozes mais respeitadas na Europa”.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários