MP opõe-se a recurso de homicida de Bruno Candé que não quer ser condenado por racismo

Magistrada considera que decisão de condenar Evaristo Marinho por homicídio com motivação por ódio racial foi a correcta, bem como o valor de 120 mil euros de indemnização aos filhos.

Foto
DIOGO VENTURA

O Ministério Público opôs-se ao recurso de Evaristo Marinho, o homicida do actor Bruno Candé, condenado pelo Tribunal de Loures a 22 anos e seis meses de prisão pela morte do actor em Julho do ano passado, que contesta a motivação por ódio racial e a quantia da indemnização à família, 120 mil euros.