A possibilidade de uma utopia

Magnífico instantâneo de um momento em que o orgulho negro era apenas uma mera afirmação de cultura e identidade, Summer of Soul vai abrir o IndieLisboa mas já pode ser visto no streaming.

critica,televisao,cinema,culturaipsilon,doclisboa,musica,
Fotogaleria
A música, do gospel aos blues, do rock à soul, como afirmação de uma identidade negra e americana, inclusiva e não exclusiva
critica,televisao,cinema,culturaipsilon,doclisboa,musica,
Fotogaleria
critica,televisao,cinema,culturaipsilon,doclisboa,musica,
Fotogaleria
critica,televisao,cinema,culturaipsilon,doclisboa,musica,
Fotogaleria
,Harlem Cultural Festival
Fotogaleria
,Festival
Fotogaleria

“Se te lembras de Woodstock, então é porque não estiveste lá”, reza a velha piada sobre a fundação do mito da contra-cultura americana que foi o festival de Woodstock. Mas, às tantas, nesse mesmo Verão de 1969, e durante muito mais do que os três dias de Agosto do festival contra-cultural de Saugerties, houve um outro evento fundacional que teve lugar em pleno centro de Nova Iorque, com entrada gratuita, num parque público, com o apoio da câmara municipal, ao longo de seis semanas, entre Junho e Agosto. Quanto a esse evento, o Festival Cultural do Harlem, diz às tantas alguém em Summer of Soul, “terei eu sonhado a sua existência?” Porque esse “Woodstock negro” pode ter ficado na memória pessoal de quem assistiu; mas desapareceu da memória colectiva, apesar de, tal como o “Woodstock branco”, ter sido um evento de “paz, amor e música”.