Combate à violência doméstica deve abarcar até as “menos exuberantes ofensas”

Dos casos que têm passado pela Equipa de Análise Retrospectiva de Homicídio em Violência Doméstica, o coordenador, Rui do Carmo, deduz que a acção tem de ser precoce.

Foto
Rui do Carmo é o responsável da Equipa de Análise Retrospectiva de Homicídio em Violência Doméstica Nelson Garrido

Ao fim de quatro anos de actividade da Equipa de Análise Retrospectiva de Homicídio em Violência Doméstica, o coordenador, Rui do Carmo, deduz que se deve alargar o combate à violência, abarcando até as “menos exuberantes ofensas e condicionamentos psicológicos, sociais e económicos”.

Sugerir correcção
Comentar