A promoção da cultura científica não é só uma política simpática — é uma urgência

Nos tempos que correm, promover a cultura científica é mais do que isso: é uma questão literalmente de vida ou de morte, urgente e decisiva.

Numa família que a minha família conhece, num país estrangeiro, um dos filhos deu já há anos em islamista radical. Há poucos meses, a novidade é que esse filho é agora fundamentalista anti-vacinas; nas manifestações a que vai e nos círculos onde recolhe desinformação, partilha agora a causa e os objetivos de islamofóbicos radicais. Uma teoria da conspiração nunca vem só, e provavelmente ele e os seus inimigos figadais são ainda capazes de partilhar elementos de anti-semitismo clássico, negacionismo das alterações climáticas e por aí afora.

Sugerir correcção
Ler 26 comentários