Com o ouro de Pichardo, Tóquio é já a melhor participação portuguesa de sempre em Jogos Olímpicos

Atleta do triplo salto confirmou quarta medalha para comitiva portuguesa em Tóquio e a quinta de ouro para o país na história dos Jogos.

Foto
PHIL NOBLE/REUTERS

O ouro conquistado na madrugada desta quinta-feira por Pedro Pichardo no triplo salto confirma a melhor prestação portuguesa de sempre nos Jogos Olímpicos. Esta já é a quarta medalha para Portugal conquistada em provas individuais, registo que o país nunca tinha conseguido. Ao ouro de Pichardo junta-se a prata de Patrícia Mamona, o bronze do judoca Jorge Fonseca e também o do canoísta Fernando Pimenta.

Em 1984, nas Olimpíadas de Los Angeles, tinham sido três os atletas a conseguir subir ao pódio. Carlos Lopes conquistou o ouro na maratona, Rosa Mota o bronze na mesma prova e, por último, António Leitão arrecadou também um terceiro lugar na prova dos 5000 metros.

Este é o primeiro grande título de Pichardo numa competição mundial REUTERS/Fabrizio Bensch
Qualquer um dos saltos válidos de Pichardo teria dado para conquistar o ouro, com o melhor a chegar ao terceiro ensaio, 17,98m, novo recorde de Portugal REUTERS/Dylan Martinez
Pichardo marcou 17,61m nos dois primeiros saltos e disparou para 17,98m no terceiro REUTERS/Aleksandra Szmigiel,REUTERS/Aleksandra Szmigiel
O saltador luso-cubano dominou a final desta quinta-feira REUTERS/Aleksandra Szmigiel
Com a bandeira nacional REUTERS/Aleksandra Szmigiel
Pedro Pablo Pichardo tem 28 anos REUTERS/Clodagh Kilcoyne
Além do ouro, Pichardo queria ter conseguido “ficar nos livros de recordes”. “Ainda tenho Paris2024 e vou continuar a trabalhar para isso” REUTERS/Aleksandra Szmigiel
REUTERS/Clodagh Kilcoyne
JOSÉ COELHO/Lusa
Clodagh Kilcoyne
DIEGO AZUBEL/EPA
DIEGO AZUBEL/EPA
JOSÉ COELHO/LUSA
Fotogaleria

Com o ouro de Pichardo no triplo salto, a quarta medalha para Portugal, estes já são os melhores Jogos de sempre para as cores portuguesas.

Também o regresso dos Jogos ao país de origem, em 2004, nos Jogos Olímpicos de Atenas, trouxe resultados sólidos a Portugal: Obikwelu foi prata nos 100 metros, Sérgio Paulinho também, no ciclismo (linha em estrada). No atletismo, Rui Silva foi bronze nos 1500 metros.

Em 2008, em Pequim, Portugal venceu duas medalhas: ouro de Nélson Évora, no triplo salto, e prata de Vanessa Fernandes, no triatlo.

Quatro anos depois, em Londres, apenas a equipa de Fernando Pimenta e Emanuel Silva, na canoagem, conseguiu trazer uma medalha para Portugal, com um segundo lugar na prova dos K2 1000 metros. Também no Rio de Janeiro, em 2016, houve medalha única para o país, conquistada pela judoca Telma Monteiro, que arrecadou bronze na prova dos -57kg.

Los Angeles e Atenas, com três medalhas para atletas portugueses, eram, até à madrugada desta quinta-feira, as provas com mais medalhas na história olímpica portuguesa. A prestação na capital nipónica ocupa agora esse lugar de destaque. 

Esta medalha de Pichardo é a quinta de ouro para atletas portugueses nos Jogos Olímpicos. Nélson Évora (2008), Fernanda Ribeiro (1996), Rosa Mota (1988) e Carlos Lopes (1984) tinham sido os únicos a pisar o degrau cimeiro do pódio nos Jogos Olímpicos. A este lote restrito junta-se agora Pichardo que, na madrugada desta quinta-feira, bateu a competição e fixou um novo recorde nacional, com 17,98 metros conseguidos no terceiro ensaio.