“O discurso oficioso do Governo e Presidente é lusotropicalista”

Fernando Rosas defende que, nos 50 anos do 25 de Abril, Portugal proponha aos governos de Angola, Moçambique, Guiné uma plataforma internacional de estudos e intercâmbio sobre os problemas sensíveis do colonialismo.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Para o historiador Fernando Rosas, “o 25 de Abril acabou com a guerra, mas não acabou com a ideologia colonial e sobretudo não acabou com a ideologia lusotropicalista” que, na sua opinião, está presente nos discursos oficiosos de Governo e Presidente da República.