O golpe militar vergou a Birmânia e a pandemia alimentou-se do caos

A repressão e a detenção de médicos e outros profissionais pela Junta Militar deixou a Birmânia à beira do colapso. Sem um plano de vacinação eficaz, a covid-19 pode afectar metade da população nas próximas duas semanas.

Foto
Mnaifestantes num protesto em Banguecoque, na Tailândia, contra o golpe na Birmânia EPA/DIEGO AZUBEL

Seis meses depois do golpe militar na Birmânia, que mergulhou o país num ciclo de violência e perseguições e fez colapsar uma frágil rede de cuidados de saúde, a população birmanesa enfrenta agora um novo pesadelo com o aumento dramático dos casos de covid-19.

Sugerir correcção
Ler 12 comentários