Otelo, o mais controverso dos capitães de Abril

O estratega político-militar e "um símbolo" da Revolução dos Cravos. O militar que ajudou a derrubar a ditadura e o homem julgado, condenado e amnistiado pelo envolvimento na rede terrorista das FP25. Otelo Saraiva de Carvalho morreu este domingo, em Lisboa, aos 84 anos.

Otelo com o Marechal Costa Gomes, Presidente da República entre 1974 e 1976 Alfredo Cunha/arquivo
Fotogaleria
Otelo com o Marechal Costa Gomes, Presidente da República entre 1974 e 1976 Alfredo Cunha/arquivo

Na reacção à notícia, políticos, militares e historiadores lembram Otelo Saraiva de Carvalho como o herói da Revolução, mas reconhecem que o capitão de Abril se tornou numa figura controversa. Marcelo Rebelo de Sousa sublinha a “importância capital que teve no 25 de Abril”.

Recorde ainda a entrevista concedida a Paulo Moura, em 2009.

Otelo e Costa Gomes
Otelo e Costa Gomes Carlos Lopes/arquivo
Otelo e Costa Gomes
Otelo e Costa Gomes DR
Com Mário Soares
Com Mário Soares Alfredo Cunha/arquivo
Otelo com outros arguidos do julgamento das FP25, em 1985
Otelo com outros arguidos do julgamento das FP25, em 1985 Luis Vasconcelos/arquivo
Otelo no Tribunal da Boa Hora, no julgamento dos crimes das FP25
Otelo no Tribunal da Boa Hora, no julgamento dos crimes das FP25 Pedro Cunha/arquivo
Otelo na Boa Hora
Otelo na Boa Hora Daniel Rocha
António Guterres e Otelo na inauguração do Museu do MFA na Pontinha, em 2001
António Guterres e Otelo na inauguração do Museu do MFA na Pontinha, em 2001 Daniel Rocha
António Guterres e Otelo na inauguração do Museu do MFA na Pontinha, em 2001
António Guterres e Otelo na inauguração do Museu do MFA na Pontinha, em 2001 Daniel Rocha
Num desfile comemorativo do 25 de Abril, na Avenida da Liberdade
Num desfile comemorativo do 25 de Abril, na Avenida da Liberdade Adriano Miranda