Já é possível pagar o bilhete nos transportes do Porto com cartão bancário contactless

A partir desta quinta-feira, é possível viajar na linhas de metro do Aeroporto e do autocarro 500, no Grande Porto, pagando directamente nos postos de validação com um cartão bancário com sistema contactless

Foto
Aquisição do título de transporte com o sistema contactless é semelhante à validação com o cartão andante. Ines Fernandes / Publico

Já se pode pagar o bilhete para viajar nos transportes do Porto encostando apenas o cartão bancário ao validador. O sistema, que só agora chega a Portugal, já está a funcionar em cerca de 500 cidades a nível mundial, assegura a Visa, uma das empresas parceiras do projecto. O Porto é a primeira cidade nacional em que este novo método de aquisição de bilhetes vai ser testado, com o arranque, nesta quinta-feira, de um projecto-piloto na linha E do metro (que liga a Trindade ao Aeroporto) e no autocarro 500, que faz o percurso entre a Praça da Liberdade e o Mercado de Matosinhos.

O procedimento para pagar é semelhante ao das restantes compras feitas com contactless. Para adquirir o título de transporte basta encostar o cartão bancário (débito, crédito ou pré-pago) nos postos de validação que possuem o símbolo contactless. Passa assim a ser possível, para qualquer utilizador, adquirir o seu bilhete sem necessidade de comprar e carregar o cartão Andante. Nesta fase piloto, os bilhetes adquiridos por este sistema têm um custo único de 2€ e um limite de utilização de 1h15m. Os postos de validação que aceitam o pagamento contactless estarão disponíveis apenas nalgumas estações de metro (Aeroporto, Casa da Música, Senhora da Hora, Trindade, Campanhã, Bolhão, Campo 24 de Agosto, São Bento e Aliados), bem como nos autocarros da linha 500

“O grande objectivo é facilitar a vida das pessoas que se deslocam nos transportes públicos da cidade do Porto”, refere Gonçalo Santos Lopes, da Visa, ainda que o novo sistema deva cativar sobretudo os utilizadores ocasionais. Para quem chega ao aeroporto e viaja para o centro do Porto, por exemplo, “vai ser uma grande vantagem”, sublinha.

Até final do ano, a parceria constituída entre os TIP, Visa e outras entidades, pretende passar para uma nova fase com alargamento para mais linhas de metro e autocarro, podendo também incluir os eléctricos. Posteriormente, se a experiência for bem-sucedida deverá ser ampliada para outras cidades, aproveitando o facto de Portugal ser um “país turístico” e onde a questão da mobilidade tem grande actualidade. O representante da Visa sublinha que os pagamentos contactless fazem parte, cada vez mais, do dia-a-dia dos cidadãos e e que a introdução desta tecnologia pode estimular o uso dos transportes públicos.

Texto editado por Ana Fernandes