Fronteira com a UE é a nova arma de Lukashenko contra as sanções

Lituânia acusa autoridades bielorrussas de facilitarem a entrada de centenas de requerentes de asilo iraquianos no país. Risco de aumento do tráfico humano e de estupefacientes também preocupa.

Foto
Militares lituanos reforçam fronteira com a Bielorrússia JANIS LAIZANS/Reuters

As autoridades da Bielorrússia abriram as suas fronteiras com a União Europeia ao tráfico humano e ao contrabando de estupefacientes, alertou um alto funcionário lituano, na sequência da promessa do Presidente Alexander Lukashenko de punir o bloco de 27 países pela imposição de sanções.