Diogo Costa Amarante, David Lynch e Chaplin: completa-se o programa do Curtas 2021

29.ª edição do festival de Vila do Conde, de 16 a 25 de Julho, acaba de anunciar o programa completo: 17 novas curtas portuguesas, uma exposição do autor de Luz de Presença, e Hollywood a filmar-se a si própria.

pier-paolo-pasolini,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,curtas-vila-conde,
Fotogaleria
"Nada nas Mãos", do luso-americano Paolo Marinou-Blanco cortesia festival curtas de vila do conde
pier-paolo-pasolini,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,curtas-vila-conde,
Fotogaleria
"O Teu Nome É", do animador Paulo Patrício cortesia festival curtas de vila do conde
pier-paolo-pasolini,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,curtas-vila-conde,
Fotogaleria
"Sortes", de Mónica Martins Nunes cortesia festival curtas de vila do conde
pier-paolo-pasolini,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,curtas-vila-conde,
Fotogaleria
"Nha Sunhu", de José Magro cortesia festival curtas de vila do conde
Walla Collective
Fotogaleria
"Oso", de Bruno Lourenço cortesia festival curtas de vila do conde

Com o anúncio dos 17 títulos escalados para a Competição Nacional, eis o programa do Curtas Vila do Conde 2021 fechado, e apresentado em conferência de imprensa esta terça, 6 de Julho. Para lá de uma competição que inclui filmes de Leonor Noivo, Ico Costa, Ana Moreira, Eduardo Brito ou Filipe Melo, o Curtas, que decorre de 16 a 25 de Julho, anunciou igualmente a exposição individual de Diogo Costa Amarante a ter lugar em paralelo na galeria Solar, Be Your Selfie, e dois programas de arquivo. Na secção Cinema Revisitado, sob o genérico Hollywood: Daydreams and Nightmares, uma selecção de filmes sobre o imaginário da Meca do Cinema, com obras de David Lynch ou Vincente Minnelli; o centenário de O Garoto de Charlot; e ainda Sweet Sixty, um programa especial comemorativo do 60.º aniversário da Semana da Crítica do Festival de Cannes, com títulos de Bruno de Almeida, Tsai Ming-Liang ou François Ozon