Microsoft lança versão de teste do Windows 11

A nova versão do Windows inclui a possibilidade de descarregar e usar aplicações de Android no computador, grupos para aceder a vários sites, ferramentas e aplicações em simultâneo e um novo visual.

Foto
Ambiente de trabalho do Windows 11 Microsoft

Uma primeira versão do Windows 11, o próximo sistema operativo da Microsoft, ficou disponível esta segunda-feira para alguns utilizadores. O objectivo é recolher opiniões sobre as mudanças antes do lançamento oficial do modelo que é a primeira grande actualização da empresa norte-americana desde 2015, ano de lançamento do Windows 10.

As novidades incluem a possibilidade de descarregar e usar aplicações de Android no computador (sem precisar de qualquer simulador de telemóvel), a possibilidade de aceder a vários ambientes de trabalho em simultâneo (por exemplo: um para o trabalho, outro pessoal), novo grafismo e menu inicial. 

O anúncio do novo sistema foi feito na semana passada, altura em que a Microsoft ultrapassou, pela primeira vez, o valor de dois biliões de dólares em capitalização bolsista (até agora, apenas a Apple o tinha feito).

O que muda no Windows 11?

Apps no computador
Vai ser possível descarregar aplicações Android (o sistema operativo para telemóveis criado pela Google) para usar no computador através da nova loja online — construída em parceria com a Amazon — sem ter de instalar qualquer programa adicional. Até agora, era preciso instalar simuladores de telemóveis para fazer isto — um exemplo era a aplicação O Seu Telemóvel da Microsoft.

Multitasking e grupos “snap"
O multitasking torna-se mais fácil. Pode-se criar grupos de sites, ferramentas e aplicações para abrir em simultâneo na barra de ferramentas. Isto permite acelerar o começo de uma tarefa — por exemplo, o dia de trabalho em que se usa sempre aplicação de email, o Excel e o site da empresa — para poupar tempo. Além disso, passa a ser mais fácil abrir várias ferramentas e janelas lado a lado através de esquemas predefinidos. 

Foto
O Windows 11 facilita a divisão de tarefas no ecrã Microsoft

Ambiente de trabalho e de lazer
Passa a ser possível alternar entre ambientes de trabalho virtuais para separar tarefas da vida pessoal de tarefas de trabalho mais facilmente.

Menu principal
O menu principal tem um novo visual (há mais espaço entre as opções) e passa a estar, por defeito, no centro da barra de tarefas. Há uma secção de “recomendações” que inclui ficheiros recentemente acedidos do computador ou de outro dispositivo, desde que estejam guardados no OneDrive, que é o serviço de armazenamento de dados online da Microsoft.

Foto
Botão de iniciar passa a estar ao centro, mas vai ser possível escolher outras posições Microsoft

Botão do Teams
O Teams, a plataforma de trabalho colaborativo da Microsoft, passa a ter um botão de acesso directo na barra de ferramentas. Embora já seja possível fixar a ferramenta do Teams na barra de ferramentas no Windows 10, o acesso passa a aparecer por defeito. Já o Skype, a outra, mais antiga, plataforma de videochamadas da Microsoft, deixa de vir pré-instalado. 

Widgets mantêm-se
A Microsoft mantém o interesse em recuperar os widgets: pequenas aplicações — como calculadoras, sites de notícias ou calendários — que correm directamente no ecrã de um computador ou telemóvel. Estes widgets usam algoritmos de inteligência artificial para oferecer informação personalizada ao utilizador e vão estar acessíveis da barra de ferramentas.

A funcionalidade, associada ao antigo sistema Windows Vista, também existe no Windows 10 (a versão actual do Windows) desde uma actualização no final de Abril.

Quando vai estar disponível?

Ainda não há data de lançamento oficial, mas a primeira versão pode ser descarregada por membros do Windows Insiders, um programa da Microsoft que dá a utilizadores do Windows 10 o acesso antecipado a algumas ferramentas.