Noah. Não há indícios de intervenção de terceiros nem de negligência dos pais, diz Polícia Judiciária

José Monteiro, coordenador da Polícia Judiciária da Guarda, disse que, apesar da investigação ainda ser embrionária, até ao momento, não há indicação da intervenção de terceiros no desaparecimento da criança. PJ também recolheu indícios que indicam que a cadela não abandonou o menino. Simplesmente não conseguiu passar na abertura de uma vedação. Mas tentou.

Foto
Pai com Noah ao colo no momento em que foi encontrado D.R.

A Polícia Judiciária (PJ) continua a investigar o desaparecimento de Noah, o menino de dois anos e oito meses que esteve desaparecido em Proença-a-Velha, mais de 35 horas e que foi encontrado vivo, apenas com alguns arranhões e desidratado, na noite de quinta-feira.