FC Porto recebeu 400 mil euros para realizar final da Liga dos Campeões?

UEFA diz ao PÚBLICO que o anfitrião recebe “taxa de aluguer” do estádio e compensação por outras despesas. Benfica e Sporting também receberam compensação em 2020.

Foto
Estádio do Dragão foi o palco da final da Liga dos Campeões Reuters/RAFAEL MARCHANTE

A frase:

Fiquei hoje [terça-feira] a saber que o Futebol Clube do Porto recebeu 400 mil euros da UEFA pela cooperação na organização da final da Champions League. Quem diria!

Edite Estrela

O contexto

O Estádio do Dragão foi o recinto escolhido para receber a final da Liga dos Campeões, que se realizou no passado dia 29 de Maio. O evento foi transferido de Istambul para o Porto apenas a duas semanas do jogo, depois de a Turquia ter entrado na “lista vermelha” de destinos do Governo britânico. A final seria disputada por duas equipas inglesas, Chelsea e Manchester City, e a manutenção da partida na Turquia impossibilitaria a deslocação de adeptos.

Edite Estrela, vice-presidente da Assembleia da República, anunciou no Twitter esta terça-feira que tinha tomado conhecimento de que o FC Porto recebeu 400 mil euros da UEFA pela “cooperação e organização” da final da Liga dos Campeões, terminando a publicação com um “quem diria”.

O director de comunicação dos “dragões”, Francisco J. Marques, considera que esta publicação da vice-presidente da Assembleia da República demonstra “ódio” ao FC Porto, questionando, numa publicação do Twitter, se o aluguer do estádio — e restantes serviços assegurados pelo FC Porto — deveriam ter sido gratuitos.

Os factos

É verdade que a UEFA acordou o pagamento de 400 mil euros ao FC Porto, mas é importante sublinhar que este pagamento é absolutamente normal. Em anos anteriores, os mesmos apoios foram atribuídos aos clubes que receberam a final da prova.

Este foi o caso, inclusivamente, da “final eight” em Lisboa no ano passado: Estádio da Luz e Alvalade receberam os jogos da fase final da competição, com a UEFA a dizer ao PÚBLICO que a modalidade de pagamento foi a mesma.

A UEFA detalha que o procedimento habitual para estes finais envolve o pagamento de uma “taxa de aluguer” do estádio ao clube, bem como uma verba adicional por custos operacionais.

O órgão desportivo não refere valores, mas o PÚBLICO apurou que a verba acordada entre FC Porto e UEFA foi de 400 mil euros. O clube realizou ainda alguns ajustes ao estádio de modo a acomodar a competição.

Em resumo

É verdade que o FC Porto acordou o pagamento de 400 mil euros pela cedência de estádio e outros custos operacionais relacionados, mas este pagamento não é em nada anormal para a prova da UEFA. Tal como em edições anteriores, o órgão desportivo pagou uma taxa de aluguer pelo estádio e reembolsou o anfitrião dos custos excepcionais que resultaram da final.