Estádio do Dragão vai ser o palco da final da Liga dos Campeões

Na lista vermelha do Governo britânico por causa da covid-19, Istambul acabou por ficar de fora do plano. Serão 12.000 os adeptos ingleses presentes no recinto.

Foto
Reuters/VIOLETA SANTOS MOURA

O Porto vai acolher pela primeira vez uma final de uma competição europeia de clubes, depois de a UEFA ter anunciado esta quinta-feira que a decisão da Liga dos Campeões de futebol vai realizar-se no Estádio do Dragão. Por terra cai o plano A, que previa a entrega do troféu em Istambul, na Turquia.

A evolução da pandemia de covid-19 já tinha deixado os responsáveis da UEFA em alerta para a possibilidade de terem de mudar o palco da final. Tal como aconteceu com a final a oito da Champions no ano passado, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) disponibilizou-se para assumir a empreitada caso surgisse a oportunidade e a capacidade já mostrada por Portugal na organização de eventos desportivos convenceu os responsáveis do organismo.

“A capacidade do estádio para o jogo vai ser finalizada e confirmada oportunamente, em cooperação com as autoridades portuguesas e com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). No entanto, os adeptos das equipas finalistas vão poder comprar bilhetes através dos clubes da forma habitual, estando 6.000 bilhetes disponíveis por clube, que vão ser colocados à venda o mais rapidamente possível, a partir de hoje”, pode ler-se num comunicado emitido pela UEFA.

Não foram só as boas condições logística a concorrer para a escolha do Porto. O facto de Portugal estar actualmente na lista verde de acesso de cidadãos britânicos, sem haver necessidade de quarentena à chegada (ao contrário do que acontece presentemente com Istambul), foi determinante para a opção tomada. Até porque os dois finalistas da prova são britânicos - no dia 29 de Maio, lutarão no Estádio do Dragão pelo troféu da mais importante competição europeia de clubes.

“A cidade do Porto acolhe com honra e entusiasmo a final da Liga dos Campeões que aqui se irá realizar no Estádio do Dragão. Desta vez já com público. Queria agradecer, em nome dos portuenses, naturalmente à Federação Portuguesa de Futebol, à UEFA e ao Governo português, que se empenharam nesta realização que é muito importante para a retoma da actividade na cidade”, reagiu Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, citado pelo site da FPF.

O Porto e o Estádio do Dragão vão, assim, acolher a terceira final de uma Liga dos Campeões em Portugal e a segunda consecutiva, já que há pouco menos de um ano, precisamente por causa da crise mundial de saúde pública, a UEFA optou por realizar uma “final a oito” em Lisboa, nos Estádios da Luz e de Alvalade.

"Tivemos novamente de virar-nos para os nossos amigos em Portugal para ajudarem a UEFA e a Liga dos Campeões, e estou agradecido à FPF e ao Governo português por aceitarem organizar o jogo com tão pouco tempo de aviso. Trabalharam de forma incansável para encontrar soluções (...) Sempre que encontraram um obstáculo, foram criativos nas soluções apresentadas”, elogiou Aleksander Ceferin, presidente da UEFA.