Ana Luísa Amaral: e se falássemos de silenciamento?

Vamos fazer um bocadinho de ficção. Se Portugal pudesse entrar na Copa América de futebol e dela tivesse saído vencedor, eu pergunto o que se teria passado no país ao nível da publicitação do feito e de manifestações de regozijo por parte dos poderes políticos e mediáticos. Nem era preciso que uma vitória estrondosa se passasse no campo do futebol que move milhões, milhões de euros e milhões de adeptos: uma medalha internacional numa das múltiplas modalidades desportivas que usualmente só retêm a atenção de um grupo limitado de adeptos teria merecido, e bem, vénias especiais daqueles poderes.