Máscaras vieram para ficar. Mas pode haver excepções para quem já foi vacinado

Raquel Duarte, uma das especialistas convidadas pelo Governo para pensar num plano para os próximos meses, altura em que grande parte da população acima dos 60 anos já estará vacinada, diz ao PÚBLICO que a proposta que a equipa entregou tem por base um aumento da liberdade, mas a “conta-gotas”. O grupo diz que é preciso criar oportunidades para a população socializar em segurança neste Verão.

Foto
Abertura das esplanadas em Lisboa Nuno Ferreira Santos

A máscara (aliada ao distanciamento) vai continuar a fazer parte do dia-a-dia da generalidade da população, mas para os já vacinados contra a covid-19 há cenários em que esta não será necessária. A avaliação local da situação epidemiológica veio para ficar, acompanhada dos indicadores que têm guiado o actual desconfinamento: a incidência da doença e o índice de transmissibilidade. Também será preciso criar oportunidades para os portugueses socializarem, com ofertas planeadas e seguras, porque a intensificação dos contactos é inevitável. Em linhas gerais, estas são algumas das propostas dos especialistas que o Governo convidou a preparar um novo plano e novas regras para o país gerir o combate à pandemia de covid-19 quando estiver completa a vacinação de “todos com mais de 60 anos”.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários