Três ideias para redefinir o normal

O ‘antigo normal’ não era saudável, razoável ou sustentável. De forma que a tarefa mais importante agora é acudir às necessidades urgentes na habitação, nos transportes e no trabalho.

Mas que é, afinal, o normal? Um estatístico dirá que normal é o que não se afasta da mediana mais do que um desvio-padrão. No meu viés, prefiro chegar lá pela etimologia latina: a “norma” era uma ferramenta usada pelos romanos, que correspondia a um quadrado, triângulo, ou mesmo apenas um esquadro, e que servia para fazer ângulos retos e para determinar a área de um determinado elemento-padrão (lajes de mármore, por exemplo). É daí que vem a nossa palavra “normal”, mas também “enorme” (que excede a norma).

Sugerir correcção
Ler 15 comentários