Intoxicar a opinião pública

Querem-nos fazer acreditar que o mundo está a ser varrido por uma onda de choque que já se teria tornado dominante e que deseja censurar tudo à sua passagem, o que só pode provocar sorrisos.

O efeito não é novo. Tem barbas. Mas dir-se-ia que nos últimos tempos se intensificou. Diz a sabedoria popular que o fenómeno tem nome: virar o bico ao prego. Ou seja, mudar de assunto, fazendo com que não se discuta verdadeiramente o que está em causa. Quando se debate assédio sexual ou machismo, acaba-se a discutir as responsabilidades de quem resolveu queixar-se como aconteceu por estes dias com Sofia Arruda. Quando o assunto é a representatividade ou direito à igualdade, por razões raciais, de género ou outras, como parece normal em democracias com alguma maturidade como a portuguesa, inverte-se a contestação e fala-se antes de boicote, censura ou intolerância.