“Almoço de Páscoa deve ser mesmo evitado”, avisa Costa

António Costa apelou aos portugueses para que evitem convívios na Páscoa de forma a evitar uma escalada de novos casos

Foto
Desconfinamento: António Costa na conferência de imprensa desta quinta-feira Manuel de Almeida/Lusa

Depois de confirmar que o país irá prosseguir com o plano de desconfinamento, o primeiro-ministro apelou aos portugueses que tenham um especial cuidado com a época festiva pascal.

Enquanto falava, António Costa mostrou as imagens de um grupo de pessoas à mesa, ilustrando a circulação de partículas neste contexto. “Renovo o apelo para que todos façamos o esforço de evitar uma Páscoa infeliz”, apelou.

O primeiro-ministro sublinhou que o “tradicional almoço de Páscoa deve ser mesmo evitado” e alertou para o risco real de contaminação de familiares. O chefe de Governo salientou que estes momentos de convívio em que as pessoas se juntam à volta da mesa, e naturalmente sem máscara, "são focos de transmissão da doença".

"Só a Islândia tem melhores resultados que Portugal"

O primeiro-ministro voltou a agradecer aos portugueses “pela forma como têm conseguido colectivamente controlar esta pandemia”. “Nesta terceira vaga termos conseguido trazer com grande sacrifício, mas também grande determinação e grande persistência, de dias em que chegamos a ser dos piores do mundo para a situação em que hoje nos encontramos em que no conjunto do espaço económico europeu só a Islândia tem melhores resultados que Portugal”, enalteceu.

Para o primeiro-ministro, estes resultados devem dar orgulho aos portugueses. Mas esse orgulho “deve ser transformado e convertido em força motivadora para continuarmos a manter o esforço para que não tenhamos ficado parados a marcar passo nem muito menos tenhamos que regredir no que já conseguimos obter e que possamos prosseguir este desconfinamento a conta gotas”, apelou..

Na quarta-feira, o primeiro-ministro já tinha considerado que Portugal está a atravessar um “bom momento” no controlo da epidemia de covid-19 e que o Governo deveria aprovar hoje um novo passo no processo de desconfinamento com efeitos a partir de segunda-feira.

Portugal registou hoje 11 mortes relacionadas com a covid-19 e 592 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).