Volkswagen ID.4, à conquista de dois mundos

100% eléctrico. 100% SUV. É com esta combinação que a Volkswagen pretende conquistar clientes apaixonados pela carroçaria da moda que ponderam mudar a ficha para veículos a baterias.

automovel,volkswagen,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
O Volkswagen ID.4 começa a chegar em Abril DR
automovel,volkswagen,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
Volkswagen ID.4 2021 DR
automovel,volkswagen,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
Volkswagen ID.4 2021 DR

Há uma tendência cada vez mais clara no mercado, com uma percentagem significativa de pessoas a ponderar adoptar a energia eléctrica quando se trata de mudar de carro. Por outro lado, em cada quatro carros vendidos pelo menos um é um sport utility vehicle, seja de que segmento for, dos pequenitos urbanos e de baixo custo aos gigantes premium recheados de mimos. Daí que não foi difícil à Volkswagen decidir sobre o seu novo alvo para o lançamento de mais um automóvel da linha ID — depois do 3, um hatchback familiar compacto, feito para se tornar tão icónico quanto o velhinho Carocha ou o actual Golf, vem aí o ID.4, um SUV eléctrico, claro.

O ID.4, que tem vindo a suscitar a curiosidade do mercado, foi finalmente apresentado de ponta a ponta. Trata-se de um carro com comprimento de 4584mm, largura de 1852mm e altura de 1612mm, encaixando-se perfeitamente na categoria dos SUV compactos. No entanto, aproveitando as potencialidades oferecidas pela plataforma MEB, idealizada especificamente para viaturas movidas a energia eléctrica, por dentro a sensação será de estar num SUV de um segmento acima, com uma distância entre eixos de 2766 mm a garantir muito boas cotas de habitabilidade — e a possibilidade de mesmo um adulto de grande estatura viaje no banco traseiro sem se sentir apertado. Além disso, a bagageira apresenta-se com uma volumetria de 543 litros, que pode chegar aos 1575 litros com o rebatimento dos bancos (há um opcional de duplo piso, útil para arrumar os cabos de carregamento, por exemplo).

A plataforma MEB é ainda relevante no sentido de a bateria, de alta tensão, ter sido instalada no piso da carroçaria, o que garante um centro de gravidade capaz de gerar uma interessante dinâmica, mesmo tendo uma distância ao solo de 16cm, superior à que se observa num hatch, além de permitir que o SUV apresente um raio de viragem semelhante à de um automóvel compacto.

Por fora, além das dimensões compactas já referidas, sobressaem as barras de tejadilho, a opção por embutir os puxadores das portas, anulando um ponto de resistência ao ar ou as jantes de liga leve de 18 a 21 polegadas. À frente, a atenção está voltada para o novo logótipo (que esconde a câmara), podendo ser emoldurado por faróis Full-LED, de série, ou em matriz de LED, com o opcional ID Light, que cria um friso luminoso, tanto à frente como atrás, a sublinhar o carácter mais desportivo do carro. Ainda na dianteira, uma grelha na parte inferior garante o arrefecimento das baterias e a refrigeração dos travões, além de melhorar a aerodinâmica.

De perfil, o que mais se destaca é a linha de cintura, trabalhada para imprimir um ar mais musculado, enquanto atrás, um aileron bem alinhado com o fim do tejadilho admite ajudar a aerodinâmica sem prejudicar a visibilidade. Ainda na traseira, o acesso à mala, como o fecho, pode ser feito com um simples toque num botão, com o opcional Easy Opening, podendo ainda ser apetrechada com uma bola de reboque, que surgirá mediante accionamento eléctrico.

O interior do ID.4 volta a apostar num ambiente tecnológico ainda que simples, como já se tinha observado no ID.3. A maioria das funções concentra-se num ecrã de 10’’ (12’’ como opcional), sendo que a gestão de várias funcionalidades pode também ser efectuada por voz: navegação, telefone, rádio, controlar a climatização (bastará dizer “tenho frio”, para que o sistema aumente a temperatura, com um bónus: é capaz de detectar quem fez o pedido, orientando o fluxo de ar mais quente, no caso, apenas para aquele lugar).

Em termos de motorizações, estarão disponíveis dois tamanhos de bateria: uma com 52 kWh, capaz de uma autonomia até 340 quilómetros, e motor elétrico traseiro que fornece uma potência de 109 kW (150cv) para as versões ID.4 City Pure e Style Pure, e 125 kW (170cv) para as versões City Pure Performance e Style Pure Performance. As outras cinco versões do ID.4 (Life, Business, Family, Tech, Max) utilizam uma bateria de 77 kWh, que tem autonomia até 520 quilómetros, homologados pelo ciclo WLTP. Neste caso, o motor eléctrico traseiro fornece uma potência de 150 kW (204cv).

O ID.4, cujas primeiras unidades da versão de lançamento First Edition começam a chegar em Abril, chega ao mercado a partir de 39.356€, para o City Pure com bateria de 52 kWh, valor que a Volkswagen reclama estar em linha com propostas do SUV Tiguan a gasóleo (com o 2.0 TDI de 150cv, é proposto a partir de 41.466€).