Atrasos dos alunos podem chegar a ser de sete meses

Estudos internacionais têm mostrado que os maiores prejudicados são as crianças de contextos socio-económicos desfavorecidos.

Foto
Paulo Pimenta

Os impactos da pandemia sobre a educação, em particular o recurso ao ensino remoto, provocam atrasos nas aprendizagens que podem chegar a ser de sete meses. O grupo de economistas da Universidade Nova de Lisboa que propõe que as recuperações dos alunos se baseiem em tutorias cita, no plano divulgado esta quinta-feira, diferentes estudos internacionais para sublinhar que os mais prejudicados pelo encerramento das escolas são os estudantes mais pobres.