Mais de 300 alunas raptadas de uma escola no Noroeste da Nigéria

Grupo de homens armados entrou durante a madrugada numa escola no estado de Zamfara. É o segundo rapto do género em menos de uma semana.

direitos-humanos,mundo,crime,nigeria,africa,
Fotogaleria
Rapazes raptados em Dezembro depois de serem resgatados,Rapazes raptados em Dezembro depois de serem resgatados AFOLABI SOTUNDE/Reuters,AFOLABI SOTUNDE/Reuters
direitos-humanos,mundo,crime,nigeria,africa,
Fotogaleria
Protesto depois do rapto das 276 raparigas de Chibok, em Abril de 2014 AFOLABI SOTUNDE/Reuters

Mais de 300 meninas desapareceram depois de um grupo armado ter invadido uma escola no noroeste da Nigéria, de acordo com os testemunhos de uma professora e um pai. Trata-se do segundo sequestro em massa na região em menos de uma semana.

Não há ainda muitos pormenores acerca do ataque, que foi confirmado pelo porta-voz do governador do estado de Zamfara. Por volta da 1 hora (meia-noite em Portugal continental) desta sexta-feira, um grupo de homens armados chegou a uma escola secundária para meninas em Jangebe em carrinhas de caixa aberta e motorizadas.

Alguns usavam uniformes das forças de segurança, segundo uma professora. Os homens obrigaram em seguida as alunas a entrar nos veículos.

Nas horas seguintes, os pais das crianças deslocaram-se para a escola e começaram a procurar pelas estudantes nas imediações das instalações, diz a BBC.

Uma professora diz que mais de 300 alunas estão desaparecidas depois de ter sido feita uma contagem, mas este número não foi confirmado pela polícia ou pelas autoridades locais.

O rapto de alunos por grupos armados é comum no Norte da Nigéria com o objectivo de obter o pagamento de resgates. Na semana passada, foram raptadas 42 pessoas, entre as quais 27 estudantes, numa escola no estado de Niger. Os reféns ainda não foram libertados.

Em Dezembro, 300 rapazes foram raptados por homens armados numa escola no estado de Katsina. Depois de negociações, as vítimas acabaram por ser libertadas.