Selecção feminina de Portugal bate Escócia e confirma play-off

Golos de Ana Capeta e Fátima Pinto garantem segundo triunfo sobre a Escócia, mas confirmam a impossibilidade de garantir o apuramento como um dos melhores segundos lugares.

Foto
Chara Savvidou

A selecção feminina de futebol venceu esta terça-feira, por 0-2, a Escócia, em partida disputada em Larnaca, Chipre, relativa à última jornada da fase de qualificação para o Campeonato da Europa de 2022, em Inglaterra. Como se adivinhava, Portugal está obrigado agora a disputar o play-off, a exemplo do sucedido há cerca de quatro anos e meio.

A equipa portuguesa concluiu o grupo E em segundo lugar, com 19 pontos (e uma diferença de 8 golos entre marcados e sofridos: 10-2, quando precisava de mais seis), e conhecerá a 5 de Março, no sorteio do play-off, a adversária que terá de vencer (a 5 e 13 de Abril) para alcançar a qualificação para o Europeu pela segunda vez consecutiva na história.

Em Larnaca, Portugal estava obrigado a golear a Escócia, selecção com melhor ranking (21.º, contra o 30.º das lusitanas), por números impensáveis, precisando de marcar neste jogo tantos golos como os somados nas sete partidas anteriores, para ainda aspirar a uma qualificação directa como um dos melhores segundos classificados.

Porém, apesar de a Escócia ser uma selecção em remodelação e ferida no orgulho, cedo se percebeu que Portugal estava perante um adversário dominador, disposto a compensar os equívocos acumulados ao longo da caminhada no grupo E.

As britânicas submeteram as portuguesas a uma forte pressão inicial, mas acabaram traídas por um duplo erro da defesa escocesa, com a guarda-redes Jenna Fife a comprometer na sequência de um atraso provocado pela pressão de Ana Capeta, que aproveitou para marcar (27') e colocar Portugal em vantagem.

Mas o golo dificilmente revolucionaria o jogo de Portugal, que continuou na expectativa de novo erro da Escócia, numa avaliação pragmática e responsável do encontro, preferindo garantir um resultado positivo para poder usar como factor motivacional no play-off, a que não poderia escapar depois da derrota nos últimos segundos do jogo com a Finlândia, em Helsínquia.

Moral reforçado pelo golo de Fátima Pinto (90+2'), a selar a segunda vitória sobre a Escócia e a consciência do peso dos golos sofridos no último minuto nos dois confrontos com a Finlândia.