Covid-19. Com vacinação, Portugal poderá atingir imunidade de grupo no início de Agosto

A disponibilidade de vacinas contra a covid-19 melhorou e isso fez com que a previsão para atingir a imunidade de grupo em Portugal fosse alterada. Portugal vai conseguir vacinar cerca de 100 mil pessoas por dia no segundo trimestre.

infarmed,saude,sociedade,servico-nacional-saude,vacinas,doencas,
Fotogaleria
Rui Gaudencio
infarmed,saude,sociedade,servico-nacional-saude,vacinas,doencas,
Fotogaleria
O coordenador da Task Force do Plano de Vacinação, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo. LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O coordenador da task force para o Plano de Vacinação contra a covid-19 em Portugal, Henrique Gouveia e Melo, avançou esta segunda-feira que a disponibilidade de vacinas contra a covid-19 melhorou e que isso fez com que a meta para se atingir a imunidade de grupo no país se alterasse, passando agora para o próximo mês de Agosto. O vice-almirante Gouveia e Melo falava durante a reunião sobre a situação epidemiológica da covid-19 em Portugal desta segunda-feira, que juntou políticos e especialistas na sede do Infarmed, em Lisboa.

Henrique Gouveia e Melo explicou que no que diz respeito à disponibilidade de vacinas, “desde o dia 19 de Fevereiro, a redução no primeiro trimestre continuou a confirmar-se apesar de ser menor”. “No entanto, isso continua a fazer com que a primeira fase [de vacinação] ultrapasse o primeiro trimestre”, disse, destacando, ainda assim, que há uma “expectativa mais positiva” em relação ao segundo, terceiro e quatro trimestres do ano.

“Se estas expectativas se mantiverem e se materializarem no futuro próximo, o período em que se poderá atingir os 70% de imunidade de grupo pode eventualmente reduzir-se e passar para meados do Verão, à volta de Agosto ou inícios de Agosto”, afirmou Henrique Gouveia e Melo. No entanto, “isto são expectativas que ainda têm de se confirmar”.

Portugal vai conseguir vacinar cerca de 100 mil pessoas por dia

Henrique Gouveia e Melo disse ainda que “haverá uma concentração de vacinas já no segundo trimestre suficiente para aumentar a velocidade de vacinação para cerca de 100 mil vacinas por dia”.

“No primeiro trimestre estamos a viver um momento em que a disponibilidade de vacinas é reduzida e há um estrangulamento. No segundo trimestre esse estrangulamento desaparece e devemos conseguir fazer uma média de cem mil vacinas por dia”, acrescentou.

O coordenador da task force para o Plano de Vacinação disse também que “chegaram a Portugal, grosso modo, cerca de um milhão de vacinas”, sendo que 680 mil foram já aplicadas no continente, 19 mil nos Açores e Madeira e 230 mil vacinas chegaram esta segunda-feira ao país e serão aplicadas esta semana.

Sem contar com estas 230 mil vacinas que acabaram de chegar, “já temos sete em 100 habitantes com pelo menos uma inoculação”. Segundo o vice-almirante, cerca de 4,5% da população portuguesa recebeu já a primeira dose da vacina contra a covid-19 e 2,7% foi já vacinada com a segunda dose.

“Este quadro mostra a necessidade que tivemos de reforçar e concentrar o processo de vacinação no grupo em que queremos salvar vidas, pessoas acima dos 50 anos com patologias associadas ou idosos com idade superior a 80 anos”, rematou.

Portugal é o 27.º país do mundo que mais vacina

Se olharmos para os últimos dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde, relativos ao dia 22 de Fevereiro de 2021, 2,43% dos portugueses já receberam as duas doses da vacina – ou seja, estão completamente vacinados contra a covid-19. Significa isto que falta ainda vacinar 67,57% dos cidadãos para atingirmos a imunidade de grupo (ainda que esta fasquia possa variar dependendo das previsões).Com novas vacinas no horizonte e uma maior produção destes fármacos, o ritmo de vacinação vai aumentar. Estamos neste momento na primeira fase de vacinação.

Portugal é o 27.º país com a maior taxa de doses administradas por 100 habitantes do mundo.