Tiago Bettencourt reabre a “Toca” para novas sessões à segunda-feira

Ao vivo e em directo, Tiago Bettencourt retoma as sessões de Tiago na Toca, a começar já esta segunda-feira, às 22h. E, com elas, conta também apoiar artistas em dificuldades.

Foto
Tiago Bettencourt fotografado para o seu mais recente disco, 2019 Rumo Ao Eclipse TERESA PAMPLONA

O nome vem de trás, de um livro-disco que o cantor e compositor Tiago Bettencourt lançou em 2011. Intitulava-se Tiago na Toca e os Poetas e, nele, eram cantados poemas que ele próprio musicou (de poetas como Sophia, Pessoa, Florbela Espanca, Ramos Rosa, David Mourão-Ferreira ou José Blanc de Portugal), a par de três versões, uma das quais de Cavalo à solta, de Ary dos Santos, em dueto com o autor da música original, Fernando Tordo (ainda recentemente, Tiago voltou a cantar uma canção de Ary e Tordo, Estrela da Tarde, desta vez em homenagem ao fadista Carlos do Carmo, dois dias após a sua morte). O disco contava ainda com outras vozes: Carminho, Camané, Inês Castel-Branco, Dalila Carmo e Pedro Puppe. Além de vários músicos convidados. E tinha um objectivo altruísta: o lucro das vendas destinava-se à Ajuda-me a Ajudar.

Declarada em 2020 a pandemia e o primeiro confinamento, Tiago retomou a ideia de Tiago na Toca, dessa vez em formato live stream na sua página de Instagram, ao vivo e em directo a partir de sua casa. E anunciou este modelo: “Vou tocar sete canções: três minhas, uma do projecto Tiago na Toca, e três versões de um só artista.” Começou com versões de Bruce Springsteen, na primeira edição, seguindo-se David Bowie.

As sessões de 2020 começaram em 20 de Abril. Agora, passado menos de um ano, e quando o estado de emergência volta a ser oficialmente renovado, Tiago Bettencourt relança o modelo, anunciando: “Bem-vindos à segunda temporada de Tiago na Toca. A cada segunda-feira às 22:00 estaremos novamente juntos à volta de 40 minutos através da ponte cibernética que é o Instagram.” E em seguida explica que, além de retomar o contacto, há também aqui um objectivo altruísta: “Estes lives são uma oportunidade de estarmos mais perto, embora sem palcos, e de, ao mesmo tempo, contribuir para apoiar muita gente cujo meio de subsistência simplesmente desapareceu. Em cada sessão vou-vos dizer como e para quem vai o valor do bilhete, facultativo, que vos peço.”

Entre as duas temporadas, a de 2020 e as sessões que agora se iniciam em 2021, Tiago esclarece: “O Tiago na Toca do primeiro confinamento foi para mim uma hipótese de fuga do tempo aparentemente suspenso onde estávamos. Uma alternativa à espera pueril que não consigo ser. Uma lembrança que a vida não pausa, que os dias avançam, que as estações continuam e nós com elas também. De uma maneira ou de outra estamos sempre em movimento, e é inevitável a escolha do desenho que terá esse gesto.”