Seul vai testar gratuitamente animais de estimação com sintomas de covid-19

Capital da Coreia do Sul vai testar cães e gatos que estiveram em contacto com humanos infectados e desenvolveram sintomas. Medida poderá ser “prematura”, uma vez que não há ainda “estudos que justifiquem” a testagem de animais, diz bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários.

Foto
Glomad Marketing/Unsplash

Em Seul, capital da Coreia do Sul, os animais de estimação que estiverem em contacto com humanos infectados com o novo coronavírus e que tenham sintomas poderão fazer um teste gratuitamente.

Segundo a Associated Press, a medida foi anunciada pelo Governo coreano depois de um gato, no sudeste de Jinju, ter sido o primeiro animal no país infectado por covid-19. As donas do gato, mãe e filha, eram duas das dezenas de infectados numa instituição religiosa de Jinju.

Os testes gratuitos deverão começar a ser feitos a partir desta segunda-feira e serão apenas para cães e gatos de estimação — e não todos os animais —, uma vez que são estes os que estão em maior contacto com humanos.

Para Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, a medida poderá ser “prematura”, uma vez que não há ainda “estudos que justifiquem” a necessidade de testar animais. “Os animais, à partida, não desenvolvem a doença. Há casos esporádicos de animais que tiveram alguns sintomas, mas não há mortes de animais por covid-19”, refere. Mais ainda, os contágios acontecem, “eventualmente, do dono para o animal e não o oposto”.

Desde o início da pandemia, foram várias as notícias de animais com covid-19. Gatos, tigres em jardins zoológicos e, talvez o mais polémico, milhões de visons que acabaram por ser abatidos na Dinamarca depois de ter sido encontrada uma mutação do novo coronavírus nestes animais. Não há, contudo, registos de mortes de animais por covid-19, ainda que alguns possam ser mais susceptíveis à infecção do que outros: gorilas e chimpanzés, por exemplo, têm um potencial de infecção muito alto, veados e golfinhos têm potencial alto e ovelhas e cabras têm potencial médio, como mostram as conclusões de Joana Damas, investigadora nos Estados Unidos, que identificou diferentes espécies de mamíferos com potencial de serem infectadas pelo novo coronavírus. 

Ainda assim, João Rodrigues, investigador português co-autor de um artigo que analisou 30 espécies de animais para encontrar diferenças e semelhanças que as tornem susceptíveis ou imunes ao vírus, lembrou ao PÚBLICO que os humanos com covid-19 devem ter “cuidado” junto dos animais de estimação. “Devemos fazer quarentena e excluir do nosso espaço, na medida do possível, os nossos animais; da mesma forma, se trabalharmos com gado, devemos evitar contacto próximo com os animais”, realçou, em Novembro último.

Em Seul, os animais infectados com covid-19 devem fazer quarentena durante 14 dias nas suas casas ou numa unidade da cidade preparada para o efeito.