O Sporting regressa à Madeira. E, desta vez, tem Paulinho

O Sporting volta aos Barreiros para defrontar o Marítimo, a única equipa que derrotou os “leões” esta época em provas nacionais.

Foto
Rúben Amorim, treinador do Sporting LUSA/ANTONIO COTRIM

O Sporting tem vivido dias animados. Depois de ter conquistado a Taça da Liga, com vitórias sobre FC Porto e Sp. Braga, venceu o derby com o Benfica, que era coisa que já não acontecia em jogos para o campeonato desde 2015, reforçou a liderança invicta do campeonato e comprou o jogador mais caro da sua história (Paulinho, 16 milhões). Nesta sexta-feira a animação continua, com o regresso dos “leões” aos Barreiros para a 17.ª jornada do campeonato frente ao Marítimo (19h, SPTV1), que foi a única equipa a derrotar o Sporting em competições nacionais esta épocavenceu por 2-0 nos oitavos-de-final da Taça de Portugal.

Desta vez, o Sporting está no Funchal com o capital de confiança de ter batido os seus três rivais mais próximos, com a motivação de fechar a primeira volta seguro na liderança. E uma vitória frente à equipa madeirense fará desta a melhor primeira volta do Sporting (que está com 42 pontos em 16 jornadas, com 13 vitórias e três empates) desde que a I Liga voltou a ter 18 equipas em 2014-15. A melhor primeira volta “leonina” nas seis épocas anteriores aconteceu em 2015-16, na primeira época com Jorge Jesus, com 44 pontos (14 vitórias, dois empates e uma derrota).

E outra diferença entre o Sporting que perdeu a 11 de Janeiro e este que se apresenta nesta sexta-feira, no Funchal, chama-se Paulinho, oficializado como reforço de Inverno na passada segunda-feira e com entrada directa nos eleitos de Rúben Amorim.

O ex-Sp-Braga é um avançado como os “leões” não tinham no plantel e a sua titularidade até é bastante provável frente aos madeirenses. Amorim conhece Paulinho dos tempos do Sp. Braga, Paulinho sabe como Amorim trabalha, o avançado está com ritmo de jogo e o Sporting não tem assim tantas opções como isso para a posição, até porque Sporar foi para o Minho por empréstimo.

Numa convocatória que não tem os lesionados Nuno Mendes e João Mário, nem o castigado Luís Neto, dois dos três reforços de Inverno foram chamados (Paulinho e João Pereira), o outro (Matheus Reis) ficou de fora.

Amorim terá de fazer algumas alterações forçadas, mas a receita para o jogo será a mesma de sempre. “Intensidade concentração e rigor. O Marítimo a única equipa que nos ganhou em Portugal, temos de ser humildes e saber que temos de melhorar, mas temos coisas boas e é nisso que temos de nos focar”, assinalou, garantindo que o Sporting não se vai descaracterizar neste confronto com a equipa madeirense.

Do outro lado estará um Marítimo que está a passar um mau bocado. Após o triunfo sobre o Sporting, a formação orientada por Milton Mendes ainda conseguiu ganhar ao Gil Vicente no campeonato, mas, depois disso, sofreu três derrotas consecutivas, uma delas frente ao Estoril que a atirou para fora da Taça de Portugal. E neste segundo embate com o Sporting, é provável que a equipa insular não conte com Rodrigo Pinho, que marcou aos “leões” no jogo da Taça e que já levas 13 golos em 16 jogos esta época. O avançado brasileiro que é reforço do Benfica para 2021-22 irá estar em dúvida até à hora do jogo.