Buckshot: “One Nation era o álbum com que Tupac queria unir toda a gente envolvida na rivalidade West Coast e East Coast”

Brothers Lyrically Acting Combining Kicking Music Out On Nations… Ou, simplesmente, Black Moon: liderados por Buckshot, aquele que é um dos grupos definidores da golden age do hip-hop nova-iorquino dos anos 90 lançou, após 13 anos de ausência, Rise of Da Moon. Não peca por tardio porque, aqui, o Tempo é virtude.

Foto

É caso para dizer: “Ele estava lá”. Quando tudo aconteceu, ele estava lá: nos auspícios do rap nova-iorquino dos anos 90 e na sua consolidação como a dita golden age do hip-hop norte-americano (mas como ser “golden” se essa foi a era na qual morreram, assassinados, Tupac Shakur e Notorious B.I.G., os seus dois maiores astros…?); na criação dos Black Moon (juntamente com 5FT e DJ Evil Dee) e de Enta Da Stage (1993), um dos discos definidores dessa era dourada; na fundação da Duck Down, uma das mais importantes editoras independentes do hip-hop americano; na criação do super-grupo Boot Camp Clik (juntamente com os Smif-N-Wessun, O.G.C. e os Heltah Skeltah)… E, claro, estava lá, em Nova Iorque, com Notorious B.I.G. – mas também com Tupac Shakur, com quem foi gravar a Los Angeles One Nation, o álbum idealizado pelo segundo para terminar com a guerra East Coast (Nova Iorque) e West Coast (Los Angeles), triste episódio da história do hip-hop (se bem que combustível para algumas das mais penetrantes rimas já feitas) que saltaria da música para as ruas e para o confronto físico (vários sets de rodagem de videoclips foram, à data, alvos de roubos e agressões). E para a morte.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários