Cinco sugestões para quem pensa adoptar um cão, do canil à chegada a casa

Em caso de dúvidas, pergunta junto da associação onde estás a pensar adoptar. Lembra-te: não há perguntas tontas e é melhor perguntar a mais do que deixar uma pergunta por fazer.

Foto
Nelson Garrido

Estás a pensar adoptar um cão e visitaste a rede social de uma associação ou uma plataforma de adopção. Já fizeste um contacto para agendar a visita. E perguntas: o que devo fazer para me preparar para acolher o cão cá em casa? Tenho de acautelar alguma coisa para o transportar com segurança?

Sim, podes acautelar algumas coisas, mesmo sem ter certezas absolutas se a adopção vai acontecer naquela visita. Podes precisar de mais do que uma visita para conhecer melhor o cão. Podes até ter uma empatia muito forte com um animal, uma espécie de amor à primeira vista, e querer trazer o animal contigo.

Com ou sem certezas, eis algumas ideias que te serão úteis.

Prepara o acolhimento em casa

O animal vai precisar de um canto para dormir, seja no interior da casa ou no exterior. Podes improvisar um espaço quentinho e caloroso, com mantas, toalhas ou lençóis, ou com uma caixa. Isto porque sem ter a certeza se vais adoptar ou de que tamanho será o cão, poderá ser precoce estar a comprar uma casota ou uma cama específica para cães. As tigelas da comida e da água podem ser recipientes adaptados: uma caixa de plástico pode servir até comprares uma tigela mais “canina”.

Muitos cães gostam de brincar com coisas que não são propriamente brinquedos de cães: um peluche, uma caixa de cartão, uma bola. Certifica-te que esses objectos são seguros para o teu cão e coloca-os à disposição no seu novo cantinho.

Prepara o transporte seguro do amigo de quatro patas

A forma mais segura para transportamos um cão é com peitoral e um cinto de segurança específico para prender o peitoral ao dispositivo do carro. Ter uma capa no banco de trás também será prudente, prevenindo eventuais enjoos, por causa do cheiro do cão, dos pêlos. Numa primeira fase, uma manta ou um lençol no banco de trás será uma excelente protecção para os bancos do teu carro. E se não tens ainda o cinto específico ou o peitoral, podes contar com a ajuda de outra pessoa para levar o cão no banco de trás.

É importante que a viagem seja segura para todos. Há cães que viajam muito bem na bagageira, por exemplo. Retiramos aquele “tampo” e ele vai ali de cabeça de fora a mirar o mundo. Podes prender a trela a um grampo ou à “cabeça do banco”.

Trela e coleira: devo comprar?

Se puderes, leva uma coleira e uma trela contigo, no dia da visita. Caso não adoptes, encara esta compra como um donativo para a associação. Se achares que precisas de mais uma visita para decidir que animal adoptar, guarda a trela e a coleira contigo.

A associação poderá ter uma trela e uma coleira para dispensar, mas não é certo que assim seja. Podes sempre perguntar à associação como podes proceder nesse caso. Se já tiveres um animal “debaixo de olho” para a adopção, aproveita e pergunta que tamanho de coleira deverás comprar.

Um passeio antes de entrar na nova casa

Já adoptaste e vais para casa com o teu novo amigo. O que fazer ao chegar a casa? Dá uma volta com o cão no jardim ou no espaço em redor, para que ele se comece a ambientar. Além disso, dás-lhe a oportunidade de fazer algumas necessidades básicas antes de entrar em casa.

Os cães gostam de farejar o mundo, é natural que esteja curioso com os novos cheiros que vai encontrar. Não tenhas pressa em entrar em casa e aproveita este primeiro momento de passeio na sua nova vida.

“Mas ele só dorme!”

Um canil é um espaço onde há muitos estímulos, muitos cheiros e muita coisa a acontecer. Quando o cão se vê num espaço calmo e tranquilo é natural que só queira dormir. Pode ter esta atitude nos primeiros dias de estadia na nova casa. Está a ambientar-se e é muito natural que queira dormir. Dá-lhe tempo para se ambientar — e para dormir!

Quando adoptei o Félix já tinha alguma experiência na adopção de cães: já havia trelas e coleiras cá em casa e casota no quintal. Muitas destas coisas faziam parte do meu quotidiano. É natural que para quem esteja a adoptar pela primeira vez todo este processo seja uma novidade. Em caso de dúvidas, pergunta junto da associação onde estás a pensar adoptar. Lembra-te: não há perguntas tontas e é melhor perguntar a mais do que deixar uma pergunta por fazer.