Portugal com mais 275 mortes provocadas pela covid-19, novo máximo diário. Novos casos ultrapassam os 11 mil

Há mais 195 pessoas em internamento e outras 22 em unidades de cuidados intensivos.

Foto
ESTELA SILVA/LUSA

O país registou, no sábado, 11.721 infecções por covid-19 e 275 mortes provocadas pelo vírus, um novo máximo diário. Há, assim, um total de 636.190 infecções confirmadas e 10.469 óbitos.

Há ainda mais 195 pessoas em internamento, com o número total de internados a ultrapassar agora os seis mil (6117). Foi registado ainda um aumento de pessoas em unidades de cuidados intensivos, mais 22, sendo agora 742 os pacientes a receberem assistência para casos de infecção mais graves.

O número de infecções activas no país sobe para 169.230, com a adição de 6279 casos. Este indicador supera o de recuperados, 5167 no sábado — no total, já recuperaram da infecção por covid-19 456.491 pessoas. 

A região Norte, com 4188 novos casos, foi a zona do país com maior número de infecções no sábado. No total, o Norte reuniu 35,7% do total de novos casos. Lisboa e Vale do Tejo é a segunda região do país com maior número de casos, com menos 21 infecções. São mais 4167 pessoas infectadas nesta região (35,6% do total). No total, as maiores regiões do país concentraram 71,3% dos 11.721 casos detectados no sábado.

Com 2219 casos (18,9% do total), a região Centro é a terceira zona do país com maior número de infecções, seguida do Alentejo, com 623 casos (5,3%). O Algarve, com 424 novos infectados (3,6%) encerra a contabilização de casos em Portugal Continental.

Nos arquipélagos, as autoridades de saúde madeirenses detectaram no sábado 51 infecções e um óbito. Nos Açores não houve mortes a registar, somando-se 49 novos casos de infecção por covid-19.

Ao contrário da estatística dos novos casos, Lisboa e Vale do Tejo concentrou a maioria das mortes por covid-19 no sábado: das 275, 125 ocorreram nesta zona. A região Norte viu 57 mortes, o Centro contou 54, o Alentejo 30 e as autoridades algarvias reportaram oito. 

Na sexta-feira, o país tinha registado novos máximos de casos e mortes, com 274 óbitos e 15.333 novas infecções por SARS-CoV-2.