Brasil planta 200 mil árvores em homenagem às vítimas da covid-19

O mote é a plantação de 200 mil árvores pelas cerca de 200 mil pessoas que morreram devido à pandemia de covid-19, no Brasil.

Foto
Bosques de Memória ajuda a reflorestar o Brasil e honra a memória das vítimas covid-19 no país DR

Num momento em que tenta travar não só a pandemia de covid-19, mas também a desflorestação, o Brasil vai plantar 200 mil árvores em 17 estados. A campanha Bosques de Memória tem o intuito de homenagear as vítimas do novo coronavírus no país.

Apoiada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), “o objectivo [da campanha] é plantar 200.000 árvores em memória das cerca de 200.000 vidas perdidas para a covid-19 no Brasil” e “agradecer aos profissionais da saúde”, conforme se lê no site daquela organização

“Esta é uma grande iniciativa porque mostra múltiplas dimensões do restabelecimento - isto é, que o restabelicimento tem a ver com a cura da nossa relação com a natureza e, ao mesmo tempo, é uma experiência de cura para nós mesmos. Não se trata apenas de plantar árvores para obter benefícios de carbono”, afirmou o chefe de Natureza para o Clima do PNUMA, Tim Christophersen.

A organização propõe-se, assim, a plantar uma diversidade de espécies de árvores nativas da região da Mata Atlântica, incluindo uma grande variedade de espécies nativas dos biomas brasileiros, como ingás (Inga), goiaba (Sidium guajava), jacarandá (Jacaranda caroba), ipê (Tebabuia) e grumixama (Eugenia brasiliensis). 

A decorrer até 5 de Junho, Dia Mundial do Ambiente, a iniciativa Bosques de Memória partiu de famílias de vítimas da pandemia e conta com apoio de entidades locais, como a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) e do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica (Pacto).